top of page

A quem se aplica a remuneração por subsídio?


O subsídio é imposto precipuamente para agentes políticos que exercem funções típicas da estrutura estatal, como forma de expressão dos Poderes da República. A Constituição Federal de 1988 estabelece que os membros de Poder, o detentor de mandato eletivo, os Ministros de Estado e os Secretários Estaduais e Municipais serão remunerados exclusivamente por subsídio (§ 4º do art. 39). Ou seja, no âmbito municipal, o prefeito, secretários municipais e vereadores deverão obrigatoriamente ser remunerados pelo regime de subsídios, vedado o acréscimo de qualquer gratificação, adicional, abono, prêmio, verba de representação ou outra espécie remuneratória.


Mais adiante, a Constituição Federal prevê que algumas carreiras também devem ser remuneradas por meio do subsídio, como os membros do Ministério Público, a Advocacia Pública e a Defensoria (art. 135). Desse modo, os procurados municipais organizados em carreira também devem ser remunerados pelo regime de subsídio. Em seguida, a Carta Maior afirma que a carreira da polícia federal, polícia rodoviária federal, polícia militar e polícia civil do Distrito Federal devem ser remuneradas pelo subsídio (art. 144, § 9º).


Portanto, para os agentes públicos supramencionados, a remuneração deverá adotar o regime de subsídio em parcela única, vedado o acréscimo de qualquer gratificação, adicional, abono, prêmio, verba de representação ou outra espécie remuneratória.


Porém, a própria Constituição Federal também prevê a faculdade do prefeito remunerar por subsídio os demais servidores públicos organizados em carreira, conforme § 8º do art. 39 c/c art. 61, § 1º , II, a. Contudo, esse dispositivo não pode ser aplicado de forma indiscriminada a todos os servidores públicos do município, sendo pressuposto necessário para substituição do vencimento pelo subsídio a organização em carreira. Assim, cargos isolados e em comissão, por exemplo, não podem ser remunerados por subsídio. Por fim, devemos ressaltar que a opção da escolha do subsídio em detrimento do vencimento deve levar em conta que aquele é melhor aplicável ao núcleo estratégico do Estado. Ou seja, nas palavras do Ministro Carlos Britto “o sistema de subsídio é para carreiras de Estado que correspondam àquela definição doutrinária de núcleo essencial”.


Deste modo, podemos concluir que, no âmbito municipal, o prefeito, vereador, secretário municipal e procurador municipal devem ser remunerados por subsídio. Além disso, o prefeito poderá aplicar o regime de subsídio aos demais servidores, desde que organizados em carreira.

Este artigo foi embasado em decisão do STF vigente na data da sua publicação.

capa revista.PNG

Revista Gestão Pública Municipal

Receba todo mês em seu e-mail a Revista Gestão Pública Municipal. Conheça a visão do Poder Judiciário e Tribunais de Contas sobre os principais temas da gestão municipal.

bottom of page