top of page

Prazo de 5 anos para registro tácito da aposentadoria no TCE é ininterrupto.

O Tribunal de Contas da União – TCU deliberou sobre mais um ponto dos registros de aposentadorias e pensões junto aos Tribunais de Contas. Anteriormente, a Corte de Contas Federal já havia decidido que, além do prazo de 5 (cinco) anos para registro tácito do ato de inativação, a decisão do Supremo Tribunal Federal tinha efeito inclusive sobre os processos em tramitação (ex tunc).

Em nova assentada, o Tribunal de Contas da União asseverou que “o prazo de cinco anos estabelecido pelo STF para a apreciação definitiva de atos sujeitos a registro, contado da data de entrada do ato no TCU (RE 636.553 – Tema 445 da Repercussão Geral), possui natureza decadencial, não se sujeitando a marcos suspensivos ou interruptivos”.

A fundamentação é respaldada em julgamento do Supremo Tribunal Federal quando restou definido que a fixação do prazo de cinco anos se afigura razoável para que as cortes de contas procedam à análise da legalidade dos atos de concessão inicial de aposentadoria, reforma ou pensão, após o qual estes serão considerados definitivamente registrados.

Deste modo, em tese, a contagem do prazo não fica interrompida ou suspensa em razão de eventual instrução inicial da unidade técnica, parecer do Ministério Público de Contas ou interposição de recursos.


Saiba mais sobre previdência social do servidor público acompanhando a Revista Gestão Pública Municipal. Assine GRÁTIS.


Commentaires


capa revista.PNG

Revista Gestão Pública Municipal

Receba todo mês em seu e-mail a Revista Gestão Pública Municipal. Conheça a visão do Poder Judiciário e Tribunais de Contas sobre os principais temas da gestão municipal.

bottom of page