Vice-prefeito pode acumular cargo de Secretário Municipal.

Em resposta a consulta formulada pelo Município de Munhoz de Mello/PR, o Tribunal de Contas do Estado do Paraná – TCE/PR1 decidiu que o servidor público afastado do cargo de origem para exercer o mandato de Vice-prefeito pode acumular esta função com o cargo de Secretário Municipal. Noutros termos, o vice-prefeito pode exercer, cumulativamente, o cargo de secretário do município.


Não obstante o entendimento da Corte de Contas estadual, a deliberação ponderou que a Lei Orgânica do Município deve prever a possibilidade de cumulação, haja vista que a norma local deve tratar sobre possíveis incompatibilidades relacionadas ao mandato de Vice-prefeito, nos limites da Constituição Federal, conforme art. 29 da Carta Maior.

Ademais, o TCE-PR pontuou que a Carta Magna estabeleceu que os parlamentares investidos no cargo de ministro não perderão os mandatos.

Por fim, o Tribunal assentou que o exercício cumulativo das supramencionadas funções não autoriza o acúmulo das remunerações, devendo o agente público optar por um dos subsídios ou, se for o caso, pelo salário do cargo efetivo.

A resposta literal da consulta foi a seguinte: “sim, é possível que um servidor público ocupante de cargo efetivo em uma prefeitura, após ser empossado como vice-prefeito e ser afastado de seu cargo efetivo de origem, seja nomeado para cargo de secretário municipal, desde que que a Lei Orgânica Municipal assim expressamente permita e que não haja cumulação de remunerações, devendo optar pelo vencimento do cargo efetivo ou do emprego público de origem, ou pelo subsídio do cargo político.”


Saiba mais sobre acumulação de cargos públicos. Assista uma aula gratuita sobre o tema.


Tags:

capa revista.PNG

Revista Gestão Pública Municipal

Receba todo mês em seu e-mail a Revista Gestão Pública Municipal. Conheça a visão do Poder Judiciário e Tribunais de Contas sobre os principais temas da gestão municipal.